Michael Wesely e seu time-lapse de uma foto só.

Michael Wesely é um artista de origem alemã, nascido em 1963 e que dedicou sua vida ao aprimoramento e experimentação com a fotografia.

Ele desenvolveu uma técnica radical, com a qual captura imagens de longa exposição.

Ele mesmo constrói suas câmeras, e o tempo de captura de cada foto pode durar de minutos a anos. Ele faz desde retratos até naturezas mortas e imagens arquitetônicas.

É uma extrapolação total do time-lapse. É a compactação do tempo em apenas uma fotografia. Trata-se, antes de tudo, de uma obra absolutamente autoral e com a técnica muito aprimorada.

Ele chama seu trabalho de “arqueologia visual”. Suas fotografias mostram o passado todo concentrado e detalhado com suas nuances e alterações em uma única imagem.

Pode-se ver a mudança da posição do sol ao longo das horas e dos meses.
As transparências e sobreposições capturadas mostram as transformações ocorridas no decorrer da construção de cada imagem.

Em contraposição ao time-lapse convencional em vídeo, no qual o expectador assiste passivamente o passar do tempo, o time-lapse arqueológico de Michael Wesely convida o observador a se aproximar da fotografia, e, ativamente, descobrir cada detalhe. O tempo de observação é determinado pelo expectador, e não pelo artista.

Um exemplo é o trabalho desenvolvido para o Instituto Moreira Salles. Wesely foi contratado para fazer o time-lapse arqueológico com suas câmeras para documentar o surgimento da nova sede do museu na Av. Paulista.

Abaixo, o making of deste projeto:

O site do artista é este.

Nele, é possível conferir sua biografia, trabalhos e exposições, e apreciar seu talento e sua inventividade.

Em São Paulo, o Instituto Moreira Salles mantém, em exibição permanente, o projeto intitulado “Câmera Aberta”, com as imagens e making of da realização do projeto pelo artista.

Abaixo duas das imagens do acervo do IMS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *